07 abril 2011

Ser humano???? Será????

Como todos devem saber o Filhos da Rrevolução é um espaço onde são apresentados nossos dilemas, tecnologias, bobagens entre outros, mas neste dia triste peço aos meus colegas que me dêem espaço para falar de outro assunto que aqui não deveria ser lembrado.

O dia 7 de abril será deste dia em diante um dia triste para o povo brasileiro, todos já devem saber, esta passando incessantemente nos noticiários, mas mesmo assim gostaria de declarar meu luto e tenho certeza de todos os membros deste blog. A tragédia hoje ocorrida no Rio de Janeiro com toda a certeza é uma das maiores já acontecidas nas circunstâncias que ocorreu. Duvido que alguém ainda não saiba, mas um homem de aproximadamente 24 anos entrou em uma escola pública do Rio de posse de duas armas e sem motivo algum saiu atirando em jovens de 13 e 14 anos. Até o momento são 12 mortos e mais 10 feridos, essas informações ainda não foram confirmadas pela mídia, pois a cada reportagem aparecem números diferentes! Mas além de tudo isto há também o ferimento psicológico que as pessoas envolvidas sofreram, para quem esta acompanhando os noticiários com certeza devem ter se emocionado com as cenas mostradas, são mães, pais e parentes desesperados com o acontecido.

Mas agora eu lhes pergunto, deveria existir pena de morte no Brasil? Certo que esse desgraçado filho da mãe cometeu o suicídio, mas se não tivesse, sua vida deveria ser tirada? Na minha opinião deveria sim!!!!! Mas quero saber a opinião de vocês!,

P.S.: Desculpem o texto mal escrito, mas não sabia de que forma me expressar, porém tenho certeza que vocês entendem o que estou tentado falar.

7 comentários:

Schell disse...

Olá, estou acompanhando este caso pela internet e vejo o quão ele chocou parte do mundo e o Brasil.

Como estou passando grande parte dos dias na universidade acompanhei diversos múrmuros sobre o assunto de um número muito grande de pessoas, o que me despertou o interesse de acompanhar as noticia sobre o ocorrido.

Bom, algumas correções para os futuros leitores estarem atualizados da situação na qual irei atualizar aqui também.

Esse "massacre escolar" ocorreu na cidade do Rio de Janeiro, no bairro Realengo. O Assassino e Suicida responsável pelo ato foi Wellington Menezes de Oliveira de 23 anos. As armas utilizadas foram um revolver calibre 38 e outro calibre 32, e segundo afirmam até agora foram mais de 60 disparos (que por meio de um speedloader conseguiu recarregar rapidamente as armas), oficialmente ouve 12 mortes (10 meninas e 2 meninos) e 13 feridos (10 meninas e 3 meninos). O local que aconteceu foi na Escola Municipal Tasso da Silveira.

(continua...)

Schell disse...

Bom, esta é foto dos armamentos que ele utilizou para o ato: http://s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2011/04/08/arma2300.jpg

O speedloader utilizado por ele pode ser comprado no ebay ou shopping.com por cerca de 15 dólares cada.

Estas para quem não viu, são as cópias das cartas: http://s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2011/04/07/carta.jpg ----- http://s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2011/04/07/clip_image002.jpg

Schell disse...

Segundo o G1 que mostrou uma "entrevista" com o irmão de Wellington: "Ele sempre foi um adolescente muito ausente de tudo, não se relacionava com ninguém. Era sempre muito trancadinho, muito fechadinho. Na escola, a mesma coisa"

Wellington era o caçula, e foi adotado ainda bebê. Segundo o irmão, a mãe biológica de Wellington tinha problemas mentais.

"Ela tentou o suicídio, e mesmo depois que o Wellington nasceu, ela apresentou alguns problemas mentais"

Segundo os irmão que vasculharam algumas vezes o computador do atirador que "fazia muitas pesquisas a respeito de tiros, algumas coisas dessa forma aí"

O irmão também conta que Wellington surpreendeu a família com alguns pensamentos como: "Eu estou com vontade de, por exemplo, de destruir um avião, como o outro fez lá nos Estados Unidos"

----trechos retirados da máteria do G1----

Schell disse...

Segundo um colega de turma chamado de Bruno Linhares, também com 23 anos, Wellington era "um garoto que era o bobo da sala se tornou um criminoso"

“Eu me lembro muito, o Wellington era o ‘bundão’ da turma, era um cara totalmente tranquilo, um bobão. Implicavam bastante com ele, zuavam ele de tudo o que é nome” ontou Bruno. Mas depois o jovem ressaltou: “Ele apesar de ser bundão, ele tinha um sorriso assustador”.


Segundo Bruno, Wellington gostava muito de computador e não tinha muitos amigos. Mas tinha um aluno da turma que o atirador sempre andava junto e que, de acordo com Bruno, seria homossexual. “Eles viviam colados, só sentavam juntos. Muitas vezes ele era chamado de ‘veadinho’”


----trechos retirados da máteria do G1----

Schell disse...

Bom, como estudante de história, eu irei mostrar com estas citações que assim podemos parcialmente traçar um perfil do assassino (não é exato, mas alguma veracidade realmente poderá se ter).

Bom, não deixem se enganar com todas as noticias e também não coloque todos os sentimentos a frente da razão (por mais difícil que seja).

Minha Analise sobre o atirador.
- podemos supor com estas informações que o atirador desde sua infância sofria com problemas psicológicos (não estou afirmando, mas supondo) decorrente de Bullying, problemas psicológicos pessoais, e possivelmente influência vinda de alguém. Bom perguntas ainda são feitas como, por exemplo: o que levou ele a matar crianças indefesas? Como ele conseguiu as armas? Como ele aprendeu a usar com tanta habilidade? Quem possivelmente "influenciou" ele com estes pensamentos? Ele tinha problemas mentais? E etc...

Bom, a influencia é visivelmente vista tanto na carta como nos depoimentos. Pela carta vemos indícios de que o ataque foi premeditado e do fanatismo religioso. Fica a questão quem fez essa "lavagem cerebral" nele?

Sobre aprender vemos como é fácil se criar bombas caseiras, mini armas químicas, funcionamento de armas e etc.. Tudo pelo SR. GOOGLE. E isso é FATO!

Qualquer um aprende a usar e como adquirir estas coisas pela internet.

Schell disse...

Quando eu vejo este caso complemento o que grandes jornais do exterior publicaram. Vejamos algumas matérias (só os títulos das noticias no mundo sobre este acontecimento), que está sendo destacado pelo ineditismo no Brasil (que nunca havia registrado algo deste tamanho).

O jornal "El País" afirma que "os brasileiros só tinham notícia de matanças perpetradas em escolas através das reportagens do exterior" e que "A tragédia convulsionou a todo o país por ser inédita"

É uma terrível verdade, o Brasil sentiu isso ao todo, pois é um fato que nunca havia acontecido, para quem possui televisão acabo deveria acompanhar a série Instinto Assassino do Discovery Channel, que mostra casos em suas maiorias semelhantes ao nosso. Na imprensa mundial casos como esses são lembrados mensalmente para que não se repitam no Brasil logo são esquecidos.

Tenho que concordar com um grande amigo meu o Alex que afirma que "o povo brasileiro tem memória curta em relação a acontecimentos deste nível tanto em solo nacional como estrangeiro" muitos agora estarão "de luto ou só falando disto" e daqui um mês não mais se lembrarão, até que acontece algo igual ou parecido.

Agora depois deste acontecido à maioria dos políticos querem sancionar aplicações de lei como o do desarmamento, regulamentação de pessoas com porte para armas, implantação de detectores de metais nas escolas e etc... E logo como a maioria do país irá esquecer até que aconteça novamente.

O correspondente do The New York Times fez uma análise muito interessante que diz que "A violência urbana não é estranha ao Brasil, especialmente o tipo de violência nas favelas controladas pelas quadrilhas, que deram a esta cidade as taxas mais altas de homicídio do mundo. Mas pensava-se que o espectro do massacre na escola era principalmente uma aflição americana"

Se Perguntassem a muitos brasileiros até quarta feira (antes do ocorrido), quantos se lembravam de massacres como os da Escola politécnica de Madri, o do Ginásio de Gutenberg, da escola primária de Dunblane, do caso de liceu de Maalot, do caso ocorrido na Virginia Tech (considerado um dos piores feitos à mão armada, sem explosivos) ou o mais famoso deles, O massacre de Columbine, pouquíssimas pessoas conhecem e sabem destes ocorridos no mundo a fora (talvez ainda lembrem-se dos dois últimos citados que foram mais recentes), mas é isso brasileiro só aprende as coisas depois que acontece e quando tenta melhorar logo esquece. Enquanto não mudarmos estes pensamentos continuaremos a presenciar acontecimentos como este dentro e fora da escola.

Schell disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário