08 dezembro 2012

Voltando a ativa?

Boooooa noite meus caros leitores, faz tanto tempo que não posto que nem sei mais como se faz....
Confesso que a correria da vida de gente grande acabou com quase todos os meus Hobbies  inclusive o de postar minhas lamurias neste templo. Creio que agora conseguirei postar mais vezes, não todo dia, ou toda semana, mas pelo menos uma vez por mês. Venho aqui contar as ultimas novidades da minha vida, para que vocês entendam o porque da falta de tempo. Primeiro trabalhei um ano e dois meses no inferno. Podem acreditar, a expressão inferno não é uma hipérbole  pois estive sim, nos campos do inferno, piores do que os campos de concentração nazistas, mas digo que sobrevivi, e ainda ajudei a torturar jovens almas, que antes como eu acreditavam no mundo da eletrônica. Pequei, sim pequei, mas no momento que resolvi me rebelar e abandonar as frentes de batalha do inferno, creio que já comecei a salvar minha alma e a reservar novamente um espaço no céu da eletrônica. Não queria me alongar nesta história, mas não vejo meios de contá-la com poucas palavras.
Primeiro comecei lá como torturado, digo que sofri e penei por meses a fio, passei por momentos críticos, onde já não via uma luz se quer. Pensei em sair, em fugir, mas com as ardilosidades oriundas do maligno, acabei iludido, seduzido a ficar. No momento em que já havia me decidido fugir, para qualquer lugar, quando já estava pronto para arrebentar os grilhões que me seguravam no fundo dos territórios do maligno, fui mais uma vez seduzido, mas desta vez, não mais para ser uma das almas torturadas, mas para subir ao patamar de torturador, pelo menos era isso que eu acreditava. Intendam vocês que eu trabalhava como o ser mais baixo, uma espécie de faz tudo, um severino da vida. Então quando estava pronto para pular fora, fui simplesmente jogado para cargo de discípulo de um mestre que em breve sairia  subi de cargo, e digo que diante daquele desafio, de aprender tudo o que o mestre sabia em duas semanas, me parecia improvável. Bem em resumo da ópera, absorvi tudo que consegui e apliquei muita coisa na prática, tanto que recebi tanta confiança, que eles ja me tinham como certo, tinham certeza que eu ficaria ali por anos se deixassem. Mas então houve uma proposta, justamente o que eu esperava, uma chance de sair dos campos de batalha. Uma chance de ir para um lugar que ainda não é o céu, mas é melhor que o inferno. Digo para vocês que para conseguir sair tive que mais uma vez ser massacrado, não foi fácil e que quase desisti, mas consegui, finquei pé e sai. Não me arrependo, Inovar, sair da rotina é sempre difícil e muitas vezes doloroso, mas cá estou eu, escrevendo este texto, contando essa pequena história e com certo alivio por ter me livrado de um fardo que já não conseguia mais carregar.
Então agora que trabalho em um emprego normal, com pessoas normais, creio que me sobrara mais tempo para minhas atividades pessoais, como voltar a postar aqui.
E para não dizer que esta foi uma publicação em vão, venho aqui comunicar que o nosso blog em breve terá um App na Windows Store, por la todos os nossos milhares de leitores poderão ler as publicações recentes e ficar atualizados.
Quando ela estiver disponível aviso a todos vocês!
P.S.: espero que meus colegas também voltem a atividade no blog...
P.S.S.: Desculpem a filosofada que aconteceu no post, ele foi escrito durante a aula de filosofia em plena sexta, ai ja viu né :p
P.S.S.S.: Só pra constar que pra conseguir escapar dos campos do inferno, contei com uma ajuda mto especial da Nanda Garcia que não deixou eu voltar atras... (:

5 comentários:

Jean Carlos disse...

0/ 0/ 0/

Veridiana Vanessa Dattein disse...

Bravo! Bravíssimo!

Veridiana Vanessa Dattein disse...

Meu DEUS MURILO! Você está aprendendo a escrever!:O Quase pensei que estava lendo escritos do Ti :O PARABÉNS!!!

Veridiana Vanessa Dattein disse...

Aaaaaah! Voltaremos a postar, sim!

Murilo disse...

Ahh Veri ta ligada que eu não sou de me acadelar, então em segredo eu estou cursando letras, da meia noite às seis da manhã na FACCAT...auehuaheu

Postar um comentário