07 fevereiro 2012

Uma singela homenagem!


Pois é caros leitores, amanhã um de nossos integrantes está com o anos em festa, reparem bem eu escrevi com O, vou dar-lhes uma dica.... É a única integrantes do sexo feminino.
Não, não é o Tiago, e nem o Murilo, muito menos eu, é nossa queridíssima Veridiana Vanessa Dattein, e com este post quero prestar-lhe uma singela homenagem retratando alguns dos momentos importantes da vida de nossa companheira... Alguns onde estive presente, outros que ela nos relatou...
Então, há exatos 19 anos nascia nossa companheira Veridiana... Já no fundamental, Veridiana gabava-se de sua ‘extrema’ inteligência, quando de sua professora ganhava um abacate, isso mesmo, uma das professoras da Veri dava abacate aos melhores  alunos, eu sou do tempo da estrelinha, mas tudo bem. Veridiana passava as noites estudando, escondida de sua progenitora, claro, para no dia seguinte tirar dez na prova e ganhar um abacate... Mais tarde, já grandinha, Dattein ‘brincava’ com um de seus  vizinhos, no mato, por favor sejamos coerentes e não tenhamos pensamentos maliciosos, porem em um belo dia Veridiana e seu amigos saem para mais um dia alegre e ela esquece seu amigo no mato,  ele deve estar perdido até hoje por aquelas bandas, seria ele um menino lobo agora????
Bom, partimos agora para os fatos em que eu presenciei, e que não são poucos, vou citar-lhes os melhores... Dia primeiro de março de 2009, nosso primeiro contato com a companheira, e não foi nem um pouco bom, Veridiana com seu estilo ‘fechadona’ não nos deu a menos abertura para estabelecermos uma amizade (Não sejam maliciosos quanto o termo abertura...), e por incrível que pareça devemos ao professor Adriano a amizade que hoje temos, pois foi com o projeto do primeiro semestre, a ilustre fonte, que nos aproximamos da companheira. Lembro-me como se fosse ontem: Veridiana, pé por pé, vindo falar com a gente, pois assim como nós estava desesperada com aquele maldito projeto, o tempo estava se esgotando, faltava poucas semanas para o fim do semestre, e nada de começarmos a fonte... E a meu ver, este foi o marco zero de nossa amizade, foi aí que tudo começou... Passaram-se alguns semestres, longas conversas, brigas, discussões, mas principalmente risos, quando em uma aula do Bauer, Veri pede para ir ao banheiro: “Professor, posso ir ao banheiro?”, pensem nesta frase no volume mais alto de seu radio, então Bauer olha para ela com cara de quem, “menina, sou velho mas não surdo”, e com a maior calma e elegância do mundo responde: “Pode” mas bem baixinho. Esse foi um momento incrível.
Veridiana, espero que goste de nossa homenagem, e queremos desejar-lhe tudo que há de melhor, pois você merece... Obrigado pela amizade que hoje temos.
Há, já ia me esquecendo, Veridiana, a um único fato do qual nós não simpatizamos, o fato de você nos trair, sim nos trair, trair nossos leitores, trair nosso blog quando faz postagens em nosso arque rival Nerd Way of Life, e aqui no humilde Filhos da Rrevolucao não posta nada... #Ficaadica para você melhorar neste quesito.

P.S.: Caros amigos do Nerd Way of Life, na realidade não os consideramos arque rivais nossos, utilizei os termos para o texto parecer mais descontraído...

2 comentários:

Veridiana Vanessa Dattein disse...

Amei a homenagem, Jean! QuaJe me mijei de tanto rir, sério.Muito obrigada pela amizade. Adoro todos vocês!

Nanda Garcia disse...

bó! lindo mesmo! (:

Postar um comentário